Tudo-que-voce-precisa-saber-para-ser-bem-blog
Balluff Brasil
Balluff Brasil
13 de dezembro de 2018

Tudo que você precisa saber para ser bem-sucedido em IOT

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email

Você precisa aumentar rapidamente seu conhecimento da IIoT? Você quer saber por que os fabricantes estão investindo na IIoT? Neste blogpost você encontrará muitos dos valores individuais que a indústria inteligente, a Indústria 4.0 e a Internet das Coisas Industrial podem trazer aos fabricantes. Acompanhe nossas postagens para que você possa ter facilmente ao alcance dos seus dedos todos os conselhos necessários para obter sucesso na IIoT.

 

Indústria 4.0 e IIoT, quem se importa?!?!

Você deveria. Mesmo em 2016, os investimentos da IIoT estavam crescendo rapidamente e mais de um quinto dos orçamentos de tecnologia estavam sendo investidos em análise de dados, IIoT e Indústria 4.0. Isso não diminuiu em 2018!

Este infográfico realmente resume bem a situação nos EUA atualmente com relação a investimentos.

É preciso sempre de atualizações e investimentos na infraestrutura de fabricação. E para sermos bem-sucedidos, precisamos melhorar a eficiência da produção e evoluir para processos de fabricação flexíveis. Uma pesquisa recente da SCM World mostrou que os benefícios do Smart Manufacturing podem fornecer uma redução de 48% no tempo de inatividade não planejado das soluções da IIoT. UAU! Você pode imaginar os tipos de investimentos que poderíamos fazer se não estivéssemos jogando nosso dinheiro no incêndio? Nesta mesma pesquisa, quase dois terços dos entrevistados disseram que estão prontos agora ou estarão em 5 anos para a implementação das soluções da IIoT.

O tipo de foco e crescimento a cada semana está gerando investimentos e benefícios para todas as partes interessadas na manufatura e seria inteligente dar uma olhada em onde sua empresa se destaca.

 

O que o termo “Pronto para IIoT” realmente significa?

Como eu seleciono um dispositivo que está realmente pronto para o IIoT? Recursos como monitoramento de condição, configuração automática e escalabilidade fazem com que projetos robustos de IIoT possam resistir ao teste do tempo.

Hoje em dia, quase todos os dispositivos industriais inteligentes que chegam ao mercado são anunciados como “prontos para a IIoT”. Mas o que isso realmente significa? Antes de ficarmos muito técnicos, deveríamos olhar para quais são os objetivos da IIoT e por que isso é importante para a era industrial do nosso tempo.

Os conceitos de Internet das Coisas Industrial (IIoT), e Indústria 4.0, aplicam-se ao futuro da automação industrial, e esses conceitos dependem fortemente da interoperabilidade de uma grande variedade de dispositivos e sistemas que comunicam grandes quantidades de dados. Esses dados são importantes porque a IIoT promete eficiência superior de máquinas e fabricação personalizada. Fabricação personalizada – também conhecida como produção em lote de micro ou lote de tamanho um – significa conectar-se com os clientes em um nível individual em vez de conectar-se a massas. Se a eficiência e a personalização na produção são os objetivos finais ou os objetivos principais da IIoT, essas questões devem ser respondidas: Que tipo de dados seriam necessários? Onde e como esses dados podem ser obtidos? Em outras palavras, quais são as capacidades ou características do dispositivo ou sistema que realmente se qualificam como “prontos para a IIoT”? Simplesmente fornecer uma conexão Ethernet para o dispositivo ou adicionar um servidor da Web qualifica o dispositivo para IIoT? A resposta é não!

 

Veja as cinco características / recursos principais que qualificariam para estarem “prontos para a IIoT” (dependendo é claro das necessidades do usuário)

  1. O Monitoramento de condição permite a manutenção preditiva e elimina o tempo de inatividade não planejado. O controlador PLC ou de automação é o local certo para determinar a manutenção preditiva? Talvez não. O PLC deve se concentrar em garantir que o sistema esteja funcionando de forma eficaz. Adicionar mais material não relacionado ao aplicativo ao PLC pode atrapalhar o que é realmente importante. Na maioria dos casos, você precisaria de um PC ou servidor diferente para fazer essa análise de padrão em toda a fábrica. Um sistema ou dispositivo com a tag “ready for IIoT” deve ser capaz de coletar e fornecer essas informações para um sistema / servidor de controles de nível mais alto. Um exemplo seria uma fonte de alimentação com o IO-Link. Através do mestre IO-Link, ele informa ao sistema sobre o estresse ou a temperatura ambiente e prevê sua vida útil.
  2. Configuração automática ou parametrização de sensores e sistemas. Esse recurso permite o benefício plug-n-play, de modo que a substituição de dispositivos seja fácil e o sistema configure automaticamente o dispositivo substituído para reduzir o tempo de inatividade.

À medida que a TI e a Engenharia de Controles trabalham mais juntas, há outras características dos dispositivos que se tornam importantes.

  1. Capacidade de configuração de sensores e linha de produção além do controlador do sistema: Os controladores de automação atualmente em uso possuem limites físicos de memória e lógica. Hoje, os fabricantes estão executando vários lotes de produtos diferentes na mesma linha, o que significa mais mudanças e mais tempo de inatividade. Se os dispositivos puderem permitir configurações rápidas de mudança de linha, como alterações de ponto de ajuste para seus sensores, diferentes pressões em fluidos, detecções de cores diferentes para as peças ou até mesmo a capacidade de detectar a alteração do formato físico, isso reduzirá significativamente tempos de troca. Em um CLP ou controlador, você só pode criar lógica para fatores conhecidos hoje (por exemplo, o número de configurações), mas no futuro próximo haverá configurações adicionais do produto. Para estar realmente pronto para o IIoT, você precisa de dispositivos que possam ser configurados (com autorizações adequadas) de várias maneiras. Em outras palavras, esses tipos de interfaces podem conectar sua máquina diretamente a um MRP ou sistema similar em nível corporativo, o que tornaria os pisos de produção muito mais eficientes para trocas rápidas.
  2. Capacidade de rastreamento de ativos e solução rápida de problemas: esses recursos tornam-se importantes quando há centenas de parâmetros sendo alterados e as configurações evoluem à medida que seu sistema se torna mais inteligente e eficiente. Para garantir que as coisas certas estão acontecendo ao longo da linha, à prova de erros, seu sistema se torna essencial, e isso envolve rastreamento adicional de informações. Portanto, os sistemas ou soluções que você escolher devem ter esses recursos.
  3. Escalabilidade para o futuro: essa característica pode ser interpretada de muitas maneiras diferentes. Mas, neste blog, refere-se à adição de recursos e funções, conforme a necessidade e a capacidade de adaptação a essas mudanças é necessária, para que você não comece do zero novamente quando a empresa precisar evoluir novamente. Nesta nova era de fabricação, é importante entender o que significa a tag “pronto para IIoT” no dispositivo em que você está investindo e como isso ajuda você a se tornar mais eficiente ou a se conectar ao cliente individualmente. Usar a IIoT para implementar um plano de “Ativar e escalar” seria a melhor maneira de atender às necessidades em constante evolução do chão-de-fábrica.

Quer saber mais sobre a indústria 4.0, da qual a Internet das Coisas faz parte? Baixe nosso e-book gratuito!

Fique à vontade para compartilhar sua experiência ou tirar alguma dúvida que tenha ficado
Se nossa matéria ajudou você, gostaríamos muito de saber como! Isso vai nos ajudar a criar artigos cada vez mais úteis para você.