Perda-de-produtividade-em-sua-empresa-descubra-como-resolver-1
Balluff Brasil
Balluff Brasil
11 de julho de 2017

Perda de produtividade em sua empresa? Descubra como resolver utilizando a tecnologia IO-Link

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on email

IO-Link tecnologia e inovação.

Um dos assuntos que mais deixam os gestores preocupados é a perda de produtividade na indústria. Afinal, quanto menos se produz, menos é possível vender e, consequentemente, menor serão os lucros. Apesar de esse ser um tema de preocupação recorrente, nem todos os empresários se atentam para os reais motivos que levam essa situação e acabam apenas recorrendo a soluções superficiais que não resolvem a causa do problema.

Na verdade, o cenário industrial brasileiro é conhecido há alguns anos pela produtividade insatisfatória gerada pelos inúmeros gargalos de produção e pela dificuldade de muitos empresários de identificar esses gargalos e de agir de forma assertiva para eliminá-los.

Está se vendo nessa situação e não sabe como resolvê-la de forma correta? Continue a leitura e saiba tudo sobre produtividade na indústria e como melhorá-la!

O que é produtividade e como sei que minha empresa não é produtiva?

Antes de qualquer coisa, é muito importante que você entenda o que é produtividade. Esse termo, na engenharia, está diretamente relacionado à eficiência, ou seja, a capacidade de fazer mais, com menos. Na área de serviços, podemos dizer que um funcionário é produtivo, por exemplo, quando ele consegue produzir bastante em pouco tempo.

Na indústria, a visão de produtividade está atrelada a capacidade de se produzir mais, aplicando uma quantidade menor de recursos, tanto materiais, como financeiros, humanos ou tecnológicos.

Quando falamos em produtividade dentro da área industrial, existem alguns indicadores que podem lhe ajudar a entender se a sua indústria possui ou não um bom nível de produtividade. A fórmula mais simples usada é Produtividade = total produzido / total dos recursos utilizados.

O resultado dessa fórmula deverá ser comparado com as médias que o seu negócio está acostumado a apresentar e está intimamente relacionado com questões importantes, como:

  • espaço disponível para a produção;
  • ferramentas e tecnologia;/li>
  • quantidade e qualidade da mão-de-obra;
  • insumos;
  • técnicas de gerenciamento;
  • logística interna e externa;
  • informatização e sistemas de gestão e produção;
  • horário de trabalho;
  • entre muitas outras variáveis.

Também vale uma ressalva quando falamos de produtividade. É importante não confundi-la com produção. Se o seu problema é uma produção baixa, você poderá conseguir melhorá-la aumentando o número de funcionários, utilizando hora extra, comprando novos maquinários, etc. Agora a perda de produtividade é um problema mais sistêmico e exige melhorias nos seus processos, treinamentos adequados para a mão-de-obra, controles de qualidade e investimento em novas tecnologias.

Quais os principais problemas que afetam a produtividade?

Se você já identificou que a sua indústria está sofrendo com a perda de produtividade, é preciso pensar o que pode estar causando esse problema. Como dissemos no início desse conteúdo existem inúmeros gargalos que podem estar impedindo o seu negócio de ser mais produtivo, veja algumas questões importantes a serem consideradas:

Perdas geradas pela ineficiência da mão-de-obra

Existem inúmeras perdas que podem estar relacionadas a processos extremamente burocráticos, a falhas administrativas, a problemas operacionais (como falta de planejamento, desligamentos desnecessários, métodos feitos de forma errada), a desorganização das equipes e a problemas com o layout da indústria que dificulta o fluxo do material e a movimentação das pessoas.

Esses tipos de perdas são mais simples de serem resolvidas e precisam apenas de um ajuste nos métodos e processos ou ainda de um treinamento melhor para os seus funcionários.

Perdas geradas por problemas com os recursos

Os recursos são essenciais para o funcionamento da indústria e nesse item existem vários tipos de perdas que podem interferir negativamente na sua produtividade, como a perda por rendimento de materiais, por desperdício de energia (com equipamentos ligados desnecessariamente, baixo fator de potência, equipamentos antigos ou ainda sobrecarga e dissipação térmica) e perda com consumíveis (como ferramentas de má qualidade que acabam se deteriorando com o tempo).

Como pode notar, esse é um problema mais estrutural e que necessitará de uma análise mais ampla na sua indústria e de mudanças mais significativas no seu método de produção.

Perdas geradas pelos equipamentos

Os equipamentos são como o “coração” de uma indústria, e justamente por isso eles podem ser um fator decisivo quando o assunto é produtividade na sua empresa.

Existem muitos fatores que podem levar a perdas, como: perdas por desligamentos ou paradas (por meio do planejamento anual de paradas ou ainda pelas manutenções periódicas ou preventivas), perda por falha ou quebra (seja por perda da função ou por redução da função), perda por setups e ajustes (quando há trocas de produtos na linha), perda por substituição de componentes, perdas de startup, perdas por pequenas paradas (falhas de sensores, entupimento de moldes, etc.), perda de velocidade e perdas por defeitos ou retrabalho.

As perdas geradas pelos equipamentos são as que mais colocam em risco a produtividade da sua indústria e, geralmente, as que mais necessitam da sua atenção. Se os seus equipamentos não estão atuando na sua função ótima, você pode estar produzindo itens a menos, com menor qualidade ou com custos maiores do que os concorrentes.

Como a tecnologia pode ajudar a melhorar a minha produtividade?

Você está ciente que a baixa produtividade é um problema a ser combatido na sua indústria, mas não sabe como começar a resolvê-la?

O primeiro passo é tentar identificar quais são os motivos que estão levando a essa questão, dentro daqueles que citamos acima. Se a sua baixa produtividade é causada por um layout inadequado na indústria, remodela-lo já irá ajudar, assim como problemas causados por questões logísticas podem ser mais fáceis de serem resolvidos.

Contudo, a maior parte das indústrias sofre com a baixa produtividade devido a questões relacionadas aos seus equipamentos. Se esse é o seu caso, saiba que a tecnologia pode lhe ajudar, melhorando a comunicação entre seus equipamentos, reduzindo as perdas por paradas e utilizando seus recursos de maneira mais inteligente.

O que é o IO-Link e como ele pode me ajudar?

O IO-Link é um protocolo de comunicação serial ponto a ponto de padrão aberto mundial capaz de comunicar sensores, atuadores e outros componentes. Através dessa tecnologia, você poderá acessar todos os parâmetros de configuração, dados de processos e diagnósticos do sensor.

Está difícil entender? Pense na interface USB do seu computador. Antigamente, era necessário ter vários cabos, um para o monitor, outro para impressora e assim por diante. Com o USB essa necessidade foi extinta. O mesmo acontece com o IO-Link. Hoje é possível conectar inúmeros dispositivos e com sistemas diferentes.

Mas não é só isso. O IO-Link ainda é uma tecnologia inteligente e que permite detectar e monitorar a integridade da sua máquina enquanto ela funciona, simplificando, também, a configuração e o comissionamento e oferecendo maior flexibilidade para seus processos atuais e futuros.

Isso significa que, por exemplo, se o desempenho da sua produção começar a cair devido ao acúmulo de sujeiras, um sensor gerará um alerta, permitindo que o problema seja corrigido antes de provocar uma parada na máquina. Essa capacidade de enviar novos parâmetros para os sensores é muito útil em máquinas que lidam com mais de um produto já que elimina a necessidade de intervenções manuais nas alterações.

Como IO-Link é uma tecnologia de interface livre, ela possui um custo mais acessível às indústrias e ainda permite sua integração a todos os barramentos de campo e sistemas de automação comuns.

Usando sensores inteligentes aliados ao IO-Link é possível otimizar as suas máquinas e prepará-las para aumentar a sua disponibilidade e a sua produtividade. Alguns dos benefícios trazidos pelo uso dessa tecnologia são:

  • mais rapidez no tempo de resposta para o mercado;
  • menor custo total de propriedade;
  • menor utilização de ativos;
  • melhor gestão de riscos corporativos;
  • aumento da capacidade de diagnóstico de falhas;
  • redução de tempo de setup;
  • economia em longo prazo;
  • paradas reduzidas através do gerenciamento de parâmetro inteligente;
  • diagnóstico abrangente do dispositivo até o nível de campo;
  • maior flexibilidade na aplicação.

Como o IO-Link funciona?

Os sensores compatíveis com IO-Link somente podem ser acessados através de um módulo mestre IO-Link, permitindo assim ter acesso a diagnósticos e recursos avançados. Quando não estão ligados a um sistema de controle compatível com o IO-Link, esses sensores funcionam como sensores padrão, o que permite que você armazene os mesmos sensores para aplicação de E/S padrão (SIO) e de IO-Link, deixando o processo de seleção mais simples e reduzindo o seu estoque.

IO-Link e IO-Remoto

Já imaginou se você pudesse acessar componentes difíceis ou não atingíveis através de uma tecnologia remota, de fácil acesso e utilização? Pois é exatamente isso que a associação do IO-Link com o IO-Remoto oferece.

Atuando como uma rede curta, o IO-Link permite novas atribuições ao IO-Remoto, além de oferecer funcionalidades importantes para os componentes do chão de fábrica. A principal vantagem do uso do IO-Link nessas situações é que ele simplifica a comunicação entre o IO-Remoto e componentes até então não atingíveis, como os sensores e os pressostatos, eliminando a necessidade de configurações locais ou de contadores pneumáticos.

Os componentes de campo que possuem versões com comunicação IO-Link já são uma realidade em muitas indústrias e permitem a configuração à distância, sem necessidade de presença humana e de manipulação direta.

Isso pode ser muito vantajoso em duas situações importantes: na substituição do componente e no ajuste dos parâmetros do componente.

As aplicações do IO-Link

Depois de todas essas explicações, você já deve ter notado que o IO-Link é uma maneira revolucionária do modo como você percebe e mantém as suas máquinas, permitindo que você tenha acesso a informações valiosas sobre a integridade do seu maquinário, evitando paradas não programadas, melhorando a eficiência nos processos e ainda promovendo a comunicação remota entre componentes não atingíveis.

Apesar de reunir vantagens expressivas, nem todo mundo pode aproveitar desses benefícios, já que essa rede não é recomendada para distâncias entre IO-Remoto e o componente IO-Link com mais de 20 metros, e nem para comunicações que necessitem de grandes velocidades de leitura ou de atuação.

O IO-Link e a indústria 4.0

Você já ouviu falar na indústria 4.0? Também conhecida como a 4ª revolução industrial, esse é o futuro para o qual as indústrias estão caminhando, e envolve a produção por meio do uso de sensores inteligentes, capazes de configurar, controlar, gerir e otimizarem a si próprios, oferecendo dados precisos e fiáveis, reduzindo a necessidade de intervenção e de possíveis falhas humanas.

Na indústria 4.0, as empresas tenderão a produzir sob demanda (de acordo com as necessidades e exigências dos seus clientes), reduzindo a quantidade de insumos, otimizando os recursos disponíveis e aumentando a níveis impressionantes a sua produtividade.

E como tudo isso é possível? Graças aos avanços tecnológicos da engenharia, sobretudo aos módulos IO-Link, que ajudam a descentralizar e organizar a rede de sensores e demais componentes.

A expectativa do setor é que dentro de alguns anos a indústria 4.0 já seja uma realidade, deixando o mercado ainda mais competitivo e a busca por produtividade ainda maior. Isso significa que, estar preparado para essa revolução, já é dar um passo a frente da concorrência, além de otimizar seus processos trabalhando de forma inteligente e automatizada.

Conclusão

Como você pode notar, o tema produtividade é algo bastante longo e pode englobar vários setores da sua indústria. Para conseguir melhorá-la é necessário entender o seu cenário interno e os departamentos que mais causam a perda de produtividade.

Melhorar os processos, ter um layout mais alinhado, treinar adequadamente seus funcionários e pensar na logística são itens importantes. Porém, a maior parte das indústrias brasileiras ainda perde produtividade devido a questões ligadas ao maquinário, com eficiência reduzida, perdas de energia, dificuldades de comunicação e falta de integração da linha de produção.

Tudo isso pode ser resolvido investindo em tecnologia. O IO-Link já é uma realidade e tem ajudado muitas indústrias a otimizarem seus processos, reduzirem seus custos de produção, aproveitarem melhor seus recursos e ainda agilizarem a sua produção.

Os sensores inteligentes que usam essa tecnologia ainda são capazes de reduzir significativamente o tempo de parada das máquinas, já que eles próprios conseguem diagnosticar quando algo está fora do padrão, indicando a necessidade de manutenções e ajustes, evitando a quebra de máquinas e a paralização da produção.

Tudo isso se reflete em maior produtividade, com produtos de qualidade superior, redução dos custos de produção e ainda vantagens competitivas. Além disso, o IO-Link permite uma comunicação remota com vários mecanismos que antes exigiam trabalhos complexos, o que reduz drasticamente as chances de falhas humanas, aumentando a segurança nas indústrias.

Por tudo isso, a tecnologia IO-Link é considerada um dos parâmetros para uma nova revolução industrial, a chamada indústria 4.0 que dentro de alguns anos já deve ser uma realidade. Assim, estar atento a essas novidades é essencial e permite que você já esteja à frente da sua concorrência.

Investir em tecnologia é ajudar a sua empresa a se tornar mais competitiva, reduzindo seus custos de operação, otimizando a sua produção e diminuindo a necessidade e o tempo das manutenções, além de oferecer mais segurança aos seus funcionários e produzir um item final de qualidade superior e com valor mais competitivo.

Depois de toda essa explicação, ficou mais fácil resolver o problema de perda de produtividade na sua indústria? Se você ainda tem alguma dúvida, deixe um comentário pra gente. E se esse conteúdo ajudou você, que tal compartilhá-lo com seus amigos em suas redes sociais?

Fique à vontade para compartilhar sua experiência ou tirar alguma dúvida que tenha ficado
Se nossa matéria ajudou você, gostaríamos muito de saber como! Isso vai nos ajudar a criar artigos cada vez mais úteis para você.