Indicador de posição digital: nosso lançamento para linhas de produção otimizadas

2 de novembro de 2021

As trocas de formato guiadas ganham espaço na indústria, substituindo o método manual. É a solução para a perda de produtividade no tempo de setup, com melhores resultados para as fábricas

Não importa a área de atuação ou o tipo de maquinário envolvido, o desafio das indústrias costuma ser o mesmo. Como evitar impactos na produção durante o tempo de setup em que o equipamento fica inativo? A resposta para essa questão, que já deu dor de cabeça a muitos empresários, passa pelas chamadas trocas de formato. Agora, o indicador de posição digital, uma versão moderna e tecnológica, que vem substituindo o método manual, promete ser a peça que faltava para dar fim aos atrasos e erros excessivos na produção.

 

A lógica, afinal, é simples: quanto mais a empresa reduzir o intervalo da substituição de peças e produtos nas máquinas, mais ela terá produzido ao final do dia. Em geral, as empresas de manufatura se veem diante das altas demandas de consumo e precisam estar à frente da concorrência para acompanhar o crescimento do mercado.

 

Dar conta desse desafio, ainda se adaptando às necessidades da Indústria 4.0, exige linhas de produção operando em alto desempenho. É crucial que o processo seja ágil e flexível, sem tantas paradas não planejadas, falhas constantes ou, ainda, desperdício de produtos.

 

Por isso, as operações manuais vêm, cada vez mais, dando lugar a métodos guiados ou automáticos. É aí que surge o indicador de posição digital, o sensor BDG: a resposta que atende às crescentes necessidades das indústrias para a produção de diferentes SKU’s (formatos), com lotes menores e mais customização – como você confere neste artigo.

 

O papel do indicador de posição digital

Imagine, por exemplo, uma encartuchadora em uso na fábrica. Nesse tipo de máquina, é comum haver a necessidade de ajuste no magazine das caixas, principalmente quando os produtos têm tamanhos diferentes. Também podem ser necessários, nesse caso, acertos nas guias que trazem os produtos, ou até mesmo no eixo que empurra o produto para a caixa.

 

Essas são as chamadas trocas de formato que, quando feitas manualmente, são bastante demoradas. Isso sem contar a alta chance de erros e falhas que podem, eventualmente, provocar novas paradas e interrupções. Soma-se a essas questões o fato dessa operação ser determinante na velocidade da produção.

 

Ou seja, falamos de um dos pontos críticos na atividade industrial, que pode prejudicar a eficiência global do equipamento e ainda gerar graves perdas. Não por acaso, o atual sistema manual vem sendo substituído por uma versão automática, muito mais produtiva e rentável. É o chamado indicador de posição digital.

 

Trata-se de uma mudança de configuração no sistema de troca de formato em máquinas que possuem componentes mecânicos, como volantes, manivelas, réguas de medição, contadores de voltas etc. Nesse caso, a dinâmica passa a ser feita de forma guiada e altamente veloz. O sensor BDG, produzido pela Balluff, é uma dessas inovadoras opções trazidas ao mercado. Ele orienta o operador por meio de valores e luzes em movimento, que aparecem no display.

 

Ao desenvolver o produto, a Balluff redesenhou completamente o modelo de visor dos aparelhos. Os técnicos da empresa levaram em consideração alguns estudos de aplicação nos quais modelos não tão compreensíveis conduziam a erros frequentes durante a operação das máquinas.

 

O resultado foi um sensor extremamente intuitivo e fácil de ser manuseado. Mesmo quem não é treinado consegue desenvolver rapidamente uma rotina de uso, adaptando, de forma rápida e segura, uma grande variedade de produtos e tamanhos de lote cada vez menores. O display indica, ainda, qual é a posição atual e a de destino e o sentido de rotação.

 

Os seis focos de aplicação

Com o desenvolvimento do produto, a Balluff se alinha às últimas tendências em automação industrial. É uma aplicação que atende, com muita propriedade, segmentos como o de embalagens, alimentos e bebidas. Isso tendo em vista os seis fundamentos de aplicação que aumentam a eficácia geral do equipamento (OEE).

 

São eles:

  1. Arquiteturas de controle
  2. Troca de formato
  3. Manutenção preditiva
  4. Controle de nível para estoque, qualidade e afins
  5. Automação robótica para funções mais críticas ou perigosas
  6. Garantia de qualidade voltada à segurança alimentar

 

Desde que foi lançado no mercado, o Sensor BDG vem colecionando notícias que indicam melhora nos resultados dos clientes. Uma empresa fabricante de barrinha de cereal, por exemplo, aponta ter obtido 65% de redução no tempo da produção durante a troca de formato, ou setup, somente com a implantação do dispositivo.

 

Um conjunto amplo de vantagens

Não é só o visor intuitivo que vem consolidando o indicador de posição digital da Balluff como referência no mercado. O aparelho também é livre de manutenção e resistente às lavagens, evitando a necessidade de medidas de proteção adicionais.

 

Possui ainda uma bateria de longa duração que garante a aquisição e manutenção de dados e valores de posição, mesmo que ela não esteja ligada a uma fonte de alimentação externa.

 

Outro fator técnico, o de exceder a classe de proteção IP69K, o torna ideal para aplicações sanitárias e higiênicas. É um produto que possui certificação Ecolab, de extrema importância para o setor alimentício e de bebidas, pela garantia de não proliferação dos microrganismos.

 

Como se não bastassem tantos diferenciais, ainda há recursos inteligentes, como o monitoramento de condição, que faz um diagnóstico interno da máquina, avaliando suas condições e funcionalidades. É o que permite ao sensor alertar antecipadamente sobre possíveis falhas que possam vir a acontecer. Ele avalia, por exemplo:

 

  • A vibração em cada ponto da máquina
  • A inclinação para fazer o alinhamento mecânico da máquina
  • A temperatura interna e em volta do componente
  • A umidade dentro dos limites que a máquina opera
  • O monitoramento de tensão
  • A qualidade do sinal
  • O status das questões ambientais, entre outros

 

Portanto, é possível reduzir o tempo de parada não planejada e eliminar as possibilidades de perda de produtos pela detecção precoce de mudanças na operação da máquina.

 

O sensor com indicador de posição digital da Balluff ainda possui funcionalidade IO-Link estendida, como parte do SAMS (Smart Automation and Monitoring System). É um fator de flexibilidade, já que o equipamento pode ser instalado diretamente em novos sistemas e outras redes, ou adaptado às máquinas existentes.

 

Conheça em detalhes essa novidade do mercado

Ficou curioso sobre o novo Sensor BDG da Balluff e tudo o que ele pode fazer para que as máquinas e os equipamentos funcionem com mais agilidade e sem tantas paradas e desperdícios?

 

O webinar de lançamento do produto teve uma apresentação completa do sensor, incluindo uma breve demonstração de como ele funciona. Na ocasião, o engenheiro de automação e controle e gerente de desenvolvimento de mercado da empresa, Vagner Alvares, que acumula 25 anos de experiência em automação industrial, e o também engenheiro de controle e automação, Thomailson Pereira, que faz o suporte para aplicações de toda linha de produtos Balluff, falaram sobre as características, a forma de funcionamento e as vantagens do indicador de posição digital.

 

O evento on-line está disponível, e você pode assisti-lo clicando aqui. Confira de perto todas as vantagens que o seu negócio pode colher com o uso dessa tecnologia.

Fique à vontade para compartilhar sua experiência ou tirar alguma dúvida que tenha ficado
Se nossa matéria ajudou você, gostaríamos muito de saber como! Isso vai nos ajudar a criar artigos cada vez mais úteis para você.
Assine nosso conteúdo
E-Books
Vídeos

Balluff – Controles Elétricos Ltda.
Rua Francisco Foga, 25 – Distrito Industrial | Vinhedo – São Paulo

+55 19 3876-9999

Vamos conversar! Para dúvidas ou informações sobre a Balluff, preencha os dados abaixo: