Etiquetas RFID x Código de barras: entenda a diferença nos sistemas de identificação

Eficiência de processos: por que é tão importante melhorar esse índice (e qual o papel da automação industrial nesse contexto)?
18 de setembro de 2019
Soluções de automação: segurança industrial para os trabalhadores e eficiência para os negócios
10 de outubro de 2019
Todas as empresas utilizam etiquetas RFID ou códigos de barras para a identificação de seus produtos, uma vez que o controle de processos é indispensável para tornar a qualidade cada vez melhor. No entanto, embora ambos os sistemas sejam úteis para as companhias, há uma série de diferenças entre as tecnologias. Neste artigo, vamos ajudar você a entendê-las!


O que você precisa saber sobre a identificação por código de barras


A sequência de barras pretas sobre o fundo branco é a mais conhecida de todos os públicos, já que pode ser facilmente encontrada, até mesmo em mercadorias do supermercado, por exemplo. A combinação de barras e espaços, representando caracteres e, consequentemente, um código para acesso aos dados do produto, foi patenteada na década de 1950.
Embora tenha sido um avanço como sistema de identificação de produtos desde então, os códigos de barras apresentam limitações em termos de leitura dos dados, quantidade de informações armazenadas e precisão no rastreamento. Devido a essa demanda, as etiquetas RFID ganham cada vez mais espaço no mercado.


O que você precisa saber sobre a identificação por etiquetas RFID


As etiquetas RFID realizam a leitura, identificação e rastreamento dos dados por meio de ondas de radiofrequência. Contudo, a etiqueta (ou TAG RFID) é apenas uma parte do sistema RFID (tecnologia com patentes a partir da década de 1970), que é composto também por antena e processador das informações.
Existem no mercado Tags RFID de baixa a alta frequência, o que permite grande flexibilidade nas aplicações, de livros a veículos, bens de consumo, peças automotivas e itens de vestuário. Além disso, as etiquetas RFID são baseadas em sistema de serialização, ou seja, cada item tem um número - ao contrário do que ocorre com os produtos de um mesmo lote de óleos vegetais, que têm o mesmo código de barras, por exemplo. Na prática, isso torna muito mais precisa a identificação de falhas em um único produto que chega ao consumidor; mas as vantagens do avanço do sistema RFID continuam.


O avanço do sistema RFID na indústria

Enquanto a leitura do código de barras é feita por leitor óptico (como os de laser, encontrados em supermercados), diretamente sobre os dados, a leitura das etiquetas RFID industrial é realizada mesmo quando elas não estão alinhadas junto à antena, até mesmo dentro de uma caixa. Além disso, poeira e plástico sobre a TAG, que deixem o código menos visível, não interferem na leitura.
Outros pontos positivos do sistema mais recente de identificação é que o RFID armazena mais informação na TAG e a leitura pode ser feita a uma distância maior entre antena e etiqueta de radiofrequência. Além disso, há a leitura simultânea de TAGs e o rastreamento de produtos mesmo quando estão em movimento, o que possibilita total controle das mercadorias para a empresa, ampliando a qualidade dos processos, do início ao fim.
Agora que você sabe mais sobre as etiquetas RFID, acesse nosso e-book gratuito e entenda a relação entre sensores industriais e RFID para tornar as indústrias ainda mais inteligentes e competitivas!